sábado, 28 de setembro de 2013

amor à distância não é novo nem surgiu com a Internet.

Crimes de persuasão, criminosos sem face.
O golpe do romance, do noivado, do casamento ou do amor à distância não é novo nem surgiu com a Internet.
Nos tempos das rádios de ondas longas e curtas (uma delas se apresentava assim: "Pernambuco falando para o muuuundo"), havia emissoras do Brasil, da Europa - como a rádio Moscou, a rádio Tirana, da albânia, a BBC de Londres e A Voz da América - que transmitiam programas através dos quais pessoas se apresentavam querendo se corresponder com pessoas de outros países. Alguns romances se iniciavam; uns davam certo para os dois; outros, davam certo apenas para o/a golpista. Outros não davam em nada.
O padrão do golpe era o mesmo e diversas histórias se contavam, e ainda se contam, sobre pessoas que se apaixonavam perdidamente, mandavam o dinheiro para a passagem de avião ou de navio e ficavam a ver apenas navios. Havia o pilantra que pedia o dinheiro para comprar casa ou o apartamento dos sonhos onde seriam felizes para sempre, que ele estava com o dinheiro retido num investimento, se retirasse o dinheiro perderia o rendimento e outras desculpas.
Jornais e revistas continham seções especializadas em aproximar seus leitores.
Muitos e muitas foram lesados/as.
As vítimas ficavam envergonhadas por haver acreditado, por ter se apaixonado, por ter se deixado lesar; não diziam nada a ninguém ou apenas aos próximos e amargavam a decepção amorosa para sempre.
Com o advento da Internet e das redes sociais as tentativas de golpe se multiplicaram e o número de vítimas aumenta a cada ano. Não existem estatísticas indicando a quantidade de pessoas que caem no golpe, até porque muitas delas se sentem envergonhadas e nada contam.
A polícia do país onde reside a vítima nada pode fazer para recuperar o dinheiro perdido, pois o pilantra mora longe e as leis do Brasil, por exemplo, não têm como puni-los. No final das contas, ficam o prejuízo e a lição. Lição amarga.
Há relato de caso de homem apaixonado que perdeu mais de um milhão de dólares para uma bela jovem. Certamente não era nem uma coisa nem outra: nem jovem, nem bela. Nem mulher.

Esquema geral do golpe.
1. Conhecimento em redes sociais ou em sítios de relacionamento.
2. Conversas, troca de mensagens.
3. O despertar do interesse.
4. Eventualmente, presentes: flores, bombons, jóias...
5. Clima de confiança mútua.
6. Simpatia, afeição.
7. Paixão.
8. Louca paixão.
9. Pequeno problema: dinheiro.
10. Envio do dinheiro.
11. Decepção.
Aconteceu com você? Está se sentido péssima/o? Está em depressão? Acha que foi burra/o, estúpida/o?
Nada disso. Como qualquer pessoa normal, você também espera encontrar a sua cara metade ou o que queira chamar. Como todo mundo, você quer e tem o direito de ser feliz, viver para sempre um grande amor .... e envelhecer ao lado da pessoa amada.
Como diz a música "Volta por cima", de Noite Ilustrada:
Levanta, sacode a poeira,
Dá a volta por cima!
Não caiu no golpe, mas já se viu tentado/a a encarar um desses relacionamentos virtuais? Vá em frente, mas preste atenção durante o percurso. Observe a sinalização. Golpistas deixam sinais bem evidentes.

O golpe padrão
Veja o que o seu grande amor revela:
- está apaixonado. Isso ocorre em poucos dias, poucas semanas. O amor acontece sem razão nenhuma e assim viverá para sempre. A paixão é mútua;
- trabalha no estrangeiro. Nigéria, Senegal, Gana e Costa do Marfim são os países preferidos. Se a vítima se der ao trabalho de investigar o IP de origem da mensagem, vai descobrir que é de lá mesmo que ela é enviada;
- mora na Europa ou nos Estados Unidos, encontra-se em país africano e assim que terminar o contrato volta para casa, resolve as pendências e vai se encontrar com a razão do seu viver;
- tem um bom emprego ou dirige empresa do setor de construção, atualmente com um bom contrato em país da África;
- pertence às forças armadas dos Estados Unidos ou de um dos seus aliados e combate, ou encontra-se estacionado, no Irã, Iraque ou Afeganistão;
- trabalha ou tem contrato com empresa petrolífera;
- é solteiro, divorciado, viúvo; não tem família.
Logo após a paixão se tornar sólida e inquestionável, algo imprevisto vai acontecer e porá à prova o amor que, a essa altura, é o maior de todas as galáxias. Em certo momento, o espertalhão se diz em dificuldades financeiras momentâneas que podem ser resolvidas mediante pequena ajuda: é o momento da verdade, quando o amor será posto à prova.
Por infelicidade, ele/a está atravessando situação financeira um pouco difícil devido a algum motivo extraordinário de origem fortuita, mas logo estará bem desde que o grande amor preste pequena ajuda. Nada de mais, apenas uns poucos mil dólares ou euros que deverão ser depositados na conta dele/a.

O que aconteceu?
Problema de saúde: com ele/a ou com pessoa próxima da família, mãe ou filho/a pequeno/a. Vítima de pequeno acidente, necessidade de cirurgia de urgência, não tem dinheiro para pagar a conta do hospital e o hospital não libera o/a paciente enquanto a conta não for paga.
Acidente: ele voltava para casa hoje pela manhã e atropelou um/a garoto/a que vinha de bicicleta. A vítima encontra-se no hospital e, para sobreviver, precisa realizar cirurgia de urgência. Dá para enviar mil e setecentos dólares e salvar uma vida? Assim que o pilantra receber o dinheiro da empresa que o contratou, muito dinheiro, ele paga a dívida acrescida de juros.
Assalto: ele/a foi assaltado/a, perdeu (quase) tudo e precisa de auxílio financeiro urgente.
Problemas com o banco: conta corrente suspensa, cheque da empresa que o contratou ainda não foi compensado ou algo semelhante. Tem em seu poder cheque de grande valor, mas que ainda não pode ser descontado. Para confirmação, ele manda todos os dados da conta corrente: nome do banco, agência, número da conta, senha. Confirme: está tudo certo.
Problemas com o recebimento do salário: a empresa para quem ele trabalha pagou com um documento que não pode ser descontado lá no país. "Me adianta aí uns dois mil dólares!"
Viagem 1: ele/a pensa em vir visitar o amor da sua vida, mas algo imprevisto aconteceu e o dinheiro que tem na conta não dá para pagar a passagem. "Dá pra me ajudar a ir até aí e abraçar esse corpinho cheio de desejo?" "Quero segurar as tuas mãos, meu amor!".
Viagem 2: problemas com a obtenção do visto na embaixada ou consulado. Tem que pagar a taxa para receber o visto: "Dá pra você me emprestar esse dinheiro? Quando eu chegar aí, acertamos as contas."
Viagem 3: para obter o visto, ele/a tem que comprar a passagem. Sem passagem, não tem visto.
Viagem 4: o/a noivo/a quer vir conhecer a pessoa a quem ama, mas não sabe como proceder para tratar desses assuntos burocráticos, vistos e outras coisas e, além do mais, o horário de expediente desses órgãos coincide com o horário da empresa onde trabalha. A agência que intermediou a aproximação pode fazer tudo isso e cobra taxa de apenas U$500, ou outro valor. "Você me manda esse dinheiro e eu cuido do resto: passagens e o mais que for necessário."

Viagem 5: a pessoa diz que vai chegar em tal dia, tal hora, tal vôo, companhia aérea tal, tudo certinho. "Me espere no aeroporto. Preciso de U$500 para cobrir umas despesas de última hora."
Viagem 6: a vítima, depois de ser devidamente envolvida, aguarda a chegada do grande amor. No dia da viagem marcada, ou pouco antes, a vítima recebe telefonema de pessoa que se identifica como do setor de emergência de hospital. Naquele momento, acaba de dar entrada, em estado grave, paciente de nome tal - o/a próprio/a pilantra - que sofreu acidente nas imediações do aeroporto.
Aquele número de telefone é a única indicação de pessoa próxima. Mesmo em estado grave, o/a pilantra faz saber ao seu grande amor que precisa, urgentemente, de dinheiro para realizar exame de ressonância magnética, ou qualquer outra coisa muito cara, e pagar a conta do hospital. Sem pagamento, não tem tratamento. Sem cuidados médicos urgentes, não há como salvar a preciosa vida!
Ansiosa, condoída, pelo infausto (!) acontecimento, a vítima manda o dinheiro. O hospital perde o paciente; a vítima perde o dinheiro. Se sobreviver, vai precisar de tratamento em casa, fisioterapia, essas coisas que demoram muito.
Viagem atrapalhada 1: o pilantra foi visitar cliente em cidade do interior. Na viagem de volta foi assaltado, perdeu documentos e dinheiro. Não pode pagar a conta do hotel e, se não pagar, não sai.
Viagem atrapalhada 2: o dinheiro foi roubado, os documentos estão retidos na gerência do hotel que não os devolve senão mediante o pagamento da conta.
Rebelião política, desculpa plausível: em visita técnica ao interior do pais, surgiram rebeliões. A Nígéria e a Costa do Marfim são países pobres e politicamente instáveis. A Nigéria é dominada por títeres vinculados a multinacionais do petróleo e, para as petrolíferas, quanto pior, melhor.
Notícias da Nigéria no dia 17 de novembro de 2011.
Vanguard Online:
Gun battle in Lagos
Suspicious tanker explosions in Abuja*Another bomb explodes in Maiduguri*8 die, 33 houses burnt in Katsina, Anambra
Concentração de renda:
Dangote tops Africa’s 40 richest list. (Em segundo lugar vem Nicky Oppenheimer, da empresa De Beers da África do Sul.)
6% customers owned 88% of bank deposits in 2010 – NDIC


Mandou o dinheiro? "Eu já estava com viagem marcada, mas ocorreu um contratempo. Mais um pouco de dinheiro e tudo se resolve." E mais um pouco, até a fonte secar.
Computador "deu pau": ele/a diz que está em uma lan house ou casa de amigo porque o computador quebrou e, no momento, não pode comprar um novo porque... alguma razão. "Dá pra você me comprar um notebook e mandar entregar aqui em casa, meu amorzinho? Quando te encontrar, não sabes como vou te agradecer!"

 Se perder um amor... não se perca!
Se o achar... segure-o!
Fernando Pessoa

Caminho alternativo: não é amor; é amizade sincera.
Grande amizade se forma e o/a amigo/a de longe pede pequeno favor: ele/a fez algumas compras e, segundo o governo do país onde as compras são feitas, a encomenda não pode ser entregue no país em que ele/a reside - Nigéria, Costa do Marfim, Gana... " Você recebe a encomenda e depois é só reencaminhá-la para o meu endereço aqui."
Pode ser algo comprado com cartão de crédito roubado. Pode ser qualquer objeto, até mesmo droga, e quem reenvia a encomenda é o responsável por ela. Uma vez descoberta a trama, você é quem paga o pato. Aqui no Brasil, a Polícia Federal pode se interessar pelo conteúdo dos pacotes. Os vendedores querem saber por que você recebe as encomendas e não as paga. Situação desagradável para quem é cúmplice da fraude.
Muitas empresas localizadas nos Estados Unidos e Europa não vendem nem entregam produtos a pessoas residentes na África, especialmente Nigéria, Costa do Marfim, Senegal e Ghana. O "amigo" distante participa do esquema recebendo as compras e as reenviando para a África.

Variante
O amor de além-mar pede algum dinheiro. A vítima o envia. Pouco tempo depois, ela recebe não só o dinheiro que havia emprestado como também um adicional que deve ser entregue a uma terceira pessoa. Ganha a confiança, os dois prosseguem no jogo de lavagem de dinheiro.

Quem não gosta de receber presentes?
Uma das formas de cativar a vítima é enviar mimos como chocolates, bombons, ursinhos de pelúcia. Até mesmo jóias. Tudo pago com cartão de crédito roubado.
Ou então: "Amigo meu está em dificuldades e vende, por apenas U$3.000, anel de brilhante que vale mais de U$40.000,00. No momento estou sem esse dinheiro mas gostaria muito de dar esse presente a você, my sweet love! Se você me mandar o dinheiro, eu compro o anel, mando para você e depois transfiro os U$3 mil para a sua conta."
O que acontece a quem receber o presentinho comprado com cartão de crédito fraudado? Receptação de furto? A empresa que vendeu o presente e a administradora do cartão de crédito vão assumir o prejuízo, mesmo sabendo nome e endereço de quem está de posse da linda jóia adquirida mediante fraude?

Fotos falsas
Você descobre que a foto que ele/a mandou está na galeria de imagens de fraudes. No problem: ex-namorado/a, ex-mulher, ex-marido muito possessivo/a e a quem ele/a teve de largar, usa desse meio para se vingar e fazer chantagem. Veja algumas fotos.

Generosos
Existem finórios que pretendem fazer o bem com dinheiro dos outros. Há os que pedem vinte notebooks para entrega em orfanato da Nigéria, Costa do Marfim, Gana, Afeganistão... qualquer lugar do planeta.

Vocabulário
Palavras doces, românticas, envolventes são usadas pelo/a apaixonado/a pilantra. Sweet, pussy (no sentido de gatinha, of course), candy, miel, amor, love, honey, dear...
Poemas e cartas de amor
Existem sítios da web especializados em construir poemas a partir de palavras informadas nos quadros de entrada. Se o/a pilantra for letrado o suficiente para saber como usar um desses serviços, a vítima poderá receber belos (!) poemas de amor elaborados automaticamente por Love poetry ou AIpoem.
Cartas de amor existem prontas, aos milhares, em livros e páginas da web, em todos os idiomas. É só dar uma passadinha lá e copiar.

Como o/a golpista se apresenta
- se tiver foto em página de relacionamento ou se enviá-la, o/a golpista é bem-apessoado/a, boa aparência; se mulher, é sempre bonita. Silhueta perfeita, sorriso encantador;
- o homem tem carreirra profissional bem sucedida, é competente. Viaja muito. É divorciado ou viúvo. Tem filha ou filho ainda criança ou adolescente. Viúvo: a pobre esposa morreu de câncer após longo sofrimento; ou morreu em triste acidente de carro;
- se ela se apresentar como russa, saia de perto: é o golpe da noiva russa, russian bride;
- redação e nível educacional do golpista: não há um padrão. Existem mensagens bem redigidas, assim como existem as péssimas. O que existe em comum em todos os casos é a súbita e ardorosa paixão e a necessidade de ajuda. Ou então a grande amizade decorrente das muitas coisas que existem em comum: músicas, filmes, diversão, hobby;
- a mulher é doce, muito meiga, gosta de viajar, é uma linda mulher...
- ela tem de 25 a 35 anos, solteira, sem filhos, procura relacionamento estável. É estudante, enfermeira; é ou pretende ser modelo.
Uma das criaturas assim se descreve: gosto de street bike, camping, natação, pesca, ouvir música e dançar qualquer tipo de música, viajar, jogar boliche e também gosto de cozinhar. Posso fazer crepes, massas, comida italiana, prefiro chips com frango, camarão, caranguejo e arroz.
Como se vê, é uma garota de largo espectro de preferências. Tão prendada, com tantas habilidades e gostos, há como desprezá-la?

>>> continua
Cartas propondo namoro virtual.

Outras mensagens e situações que merecem atenção dos internautas
http://www.quatrocantos.com/lendas/670_golpe-romance-scam-escroquerie-dating.htm


Perfil da vítima
Idade: entre trinta e cinquenta e cinco anos.
Estado civil: separado/a, solteiro/a, divorciado/a, viúvo/a. Há pessoas casadas que também se arriscam. Todos são vítimas em potencial.
Emprego ou situação financeira estável; aposentado/a.
Geralmente mora sozinha/o. É uma pessoa romântica e carente: esse é o ponto mais vulnerável e o/a pilantra logo percebe e explora o filão.



 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

NOSSO EMAIL PARA DENÚNCIAS É: forascammers@gmail.com.
FAÇA SEU COMENTÁRIO OU DENUNCIA .
.

RESPONDA O QUESTIONÁRIO